Home / MÍDIA / Propaganda Política no Snapchat
bandeira-snapchat-propaganda-politica

Propaganda Política no Snapchat

Propaganda Política no Snapchat

Snapchat não somente direciona suas atividades para atender demandas publicitárias, como vem se reposicionando conforme respostas positivas de seus membros. Sua preocupação com a receptividade dos usuários não limita seus esforços em monetizar a plataforma através de veiculações publicitárias.

Com esse intuito, tanto desenvolve aprimoramentos como recebe feedback de anunciantes que desejam alcançar targets mais específicos – veja a matéria sobre Publicidade com Retargeting no Snapchat.

Porém, sua intenção parece estar muito além de contar experiências através de vídeos descolados produzidos por adolescentes. Nos Estados Unidos, a rede social tem sido utilizada como espaço para divulgação de notícias, o que vem atraindo atenção de segmentos que necessitam alinhar sua imagem com credibilidade e autoridade. Lembrando que esse direcionamento voltado para fonte de informação de notícias e acontecimentos em tempo real possui alguma semelhança com a estratégia de Marketing do Twitter

A rede social iniciou suas atividades de venda de anúncios no final de 2014. Em maio de 2015, introduziu opções para anúncios políticos combinando notícias com publicidade. E tem ampliado opções de segmentação. Inclusive, realizou parcerias com mais de dez empresas para mensuração dos anúncios. Em julho deste ano, lançou sua API (Application Programming Interface) que possibilita compra, otimização e análise de campanhas publicitárias Snapchat através de terceiros.

O cuidado com a imagem da rede social não é por menos. A plataforma possui uma valiosa rede de jovens com mais de 150 milhões de usuários diários, sendo que três quartos se enquadram na faixa etária entre 18-31. De acordo com a Nielsen, em qualquer dia Snapchat atinge 41% dos jovens norte-americanos entre 18 e 34 anos. Reporta ainda que mais pessoas dessa faixa etária assistiram os debates das eleições através do Snapchat do que na TV.

Atentos a este celeiro com jovens ativos que gostam de se expressar, políticos e profissionais de Marketing Político identificam a rede como um espaço privilegiado para Propaganda Eleitoral. Analistas apontam que a campanha de Hillary Clinton está comprando vídeo ads com número de visualizações pela audiência de Snapchat, enquanto Donald Trump está executando um anúncio interativo que solicita e-mail dos usuários. Tanto a democrata quanto o republicano têm ampliado investimentos direcionados para o Snapchat.

A investida é confirmada por Tim Cameron, Diretor Digital do Comitê Republicano Nacional: “Nós realmente estamos usando target demográfico para alcançar ampla audiência. Não é tão específica como outras, mas funciona”. O comitê também relata que agora gasta mais de 30% de seu orçamento de publicidade em mensagens digitais, incluindo Snapchat.

As campanhas de Clinton e Trump têm utilizado estratégia de propaganda por filtros geográficos – imagens ou texto que aparecem sobre as imagens capturadas dentro de uma área geográfica previamente estabelecida, e Snap Ads com 10 segundos de vídeos em tela cheia que surgem entre outros conteúdos – a exemplo dos anúncios entre as músicas tocadas no Spotify, para assinaturas free.

 

Sobre Cinthya Oliveira

Mestre em Mídia, Jornalista e Publicitária. Possui interesse em estudos sobre modelos de negócios, processos de produção em mídia e possibilidades de envolvimento do público. Além das atividades em comunicação, desenvolve estudos acadêmicos e contribui com a capacitação de profissionais.

Além disso, verifique

Twitter busca atrair anunciantes com conteúdo premium

Twitter busca atrair anunciantes com conteúdo premium

Twitter busca atrair anunciantes com conteúdo premium Twitter divulgou essa semana o lançamento de novas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *