Home / MARKETING / Spotify: “Diga o que tu escutas e eu direi quem tu és”.
spotify brands power music pontos de contato

Spotify: “Diga o que tu escutas e eu direi quem tu és”.

Spotify: “Diga o que tu escutas e eu direi quem tu és”.

Spotify, aplicativo que possibilita acesso a músicas por streaming, realizou estudo em parceria com a empresa de pesquisa Box 1824, voltada para identificação de tendências de comportamento e consumo.

De acordo com Spotify for Brands, o braço de vendas de espaço publicitário, o conteúdo musical revela tendências e reflete o espírito de determinado período. Porém, além das músicas, os formatos de entrega desses conteúdos também apontam mudanças comportamentais.

Por isso, o estudo mapeou os principais hábitos relacionados ao uso do streaming. A partir de breve contextualização, inclusive histórica, apresenta o contexto de consumo do Rádio, vinil, CD, MP3 e chega ao streaming. Não por acaso, a pesquisa revela que esse formato proporciona maior inserção dos conteúdos fonográficos na vida das pessoas.

Os insights trazem uma boa perspectiva, embora não podemos esquecer que a mídia Rádio vem se reiventando e mantendo sua atuação ao longo de todas essas fases. Além disso, o streaming de vídeo também desempenha forte atuação na contemporaneidade.

Os usos de diferentes formatos e plataformas ao longo do tempo representam fases e comportamentos geracionais. As palavras-chave mapeadas para cada mídia são:

 

Radio: intimidade

Vinil: identidade

K7: mobilidade

MTV: atitude

CD: independência

Download: liberdade

 

O estudo denominado “Power of Music” ou “O Poder da Música”, foi desenvolvido a partir de conversas com 240 jovens de classes ABC entre 18 e 30 anos em São Paulo e Rio de Janeiro, além de ouvir a opinião de 10 especialistas em música.

Embora a empresa não tenha divulgado o período da coleta de dados, que possui abordagem qualitativa e deve ser analisado sob esta perspectiva, os resultados não apresentam muitas novidades. As conclusões parecem óbvias, sobretudo para o mercado publicitário habituado a defesas de mídia, mas é válido refletirmos sobre cada tópico e sua influência no mercado como um todo.

Para melhor compreender essa relação, a seguir reproduzimos os  insights do estudo. Acesse também o infográfico do estudo.

Spotify: “Power of Music”

Rádio
Com a chegada do rádio, a música foi para dentro das casas e para os momentos íntimos, aumentando o acesso e gerando proximidade do artista com o público.

Vinil
A música passou a ser escolhida pelo gosto das pessoas e a conexão entre artista ficou fã fica mais forte, pois a atitude e a mensagem da música estavam nas mãos das pessoas.

Fita cassete
A música conquistou mobilidade e individualidade, e as mensagens e identidades musicais passam a acompanhar a rotina das pessoas, que inseriram a música com maior frequência em suas vidas.

MTV
Por meio da imagem, a música se traduziu em lifestyle e extrapolou seu próprio mundo. O videoclipe transformou a música em atitude pura: a identificação com o artista passou a ter uma nova plataforma.

CD
A música evoluiu para tecnologia digital e rompeu o modelo de negócio, gerando facilidade na disseminação. O mercado independente cresceu, criando ícones comportamentais.

MP3/Download
A música se libertou do formato físico e ganhou acessibilidade, iniciando-se o consumo por faixa.

Streaming

A revolução do streaming trouxe o livre e fácil acesso ao infinito musical. A música se desatrelou completamente da propriedade e tornou o acesso livre: a busca, catalogação e disseminação de novidades passa a ser extremamente rápida, trazendo uma série de rupturas e mudanças no comportamento social.

A revolução do streaming trouxe 7 grandes mudanças comportamentais:

  • A música se tornou uma commodity;
  • A música passou a pautar os momentos do cotidiano das pessoas;
  • Álbuns dão espaço às playlists, principalmente aquelas baseadas em moods;
  • O fone de ouvido virou um device obrigatório;
  • Ficou mais barato experimentar novas músicas, estilos e artistas;
  • O streaming entrega a real intimidade das pessoas;
  • A conexão entre os usuários criou uma biblioteca viva em constante transformação, personalizando sugestões.

O streaming permitiu que a música ganhasse um papel inédito na vida das pessoas:

  • O dia todo e em todos os lugares;
  • Acompanhando suas necessidade e seus sentimentos;
  • Sendo a cola das relações e das descobertas;
  • Ditando o próprio mercado fonográfico.

Sobre Moisés Oliveira

Especialista em Marketing Digital, acompanha tendências e oportunidades de Comunicação Integrada. Responsável pela estratégia online e performance de anunciantes em diferentes segmentos, sua atuação em agências de publicidade e veículos de comunicação agrega valor à carreira iniciada na Administração.

Além disso, verifique

Ex-atendente vira dona de duas franquias de depilação

Ex-atendente vira dona de duas franquias de depilação

Ex-atendente vira dona de duas franquias de depilação Ex-atendente vira dona de duas franquias de …